Hábitos

COMO REDUZIR OS CUSTOS DO SEU NEGÓCIO: 6 PASSOS (SEM PERDER QUALIDADE.)

                                                  Reduzir os custos do seu negócio

                                                 Reduzir os custos do seu negócio

Como reduzir os custos do seu negócio sem perder a qualidade? 

Mas calma ai, é possível fazer os dois? Sim! Hoje é possível encontrar uma série de ferramentas e serviços que podem auxilia-lo em diversas áreas da sua empresa, econimizando seus recursos e seu tempo.

Reduzir os custos não deve ser feito somente em momentos de crise, realizar um planejamento, pode fornecer aquela gordurinha extra para inovar seus serviços além de aumentar sua competitividade.

Então vamos dar algumas dicas para jogar sua empresa no próximo nível!


1. Analizar os custos mensais

Sabe aquela assinatura que você não usa ou não é bem aproveitada? Exatamente :D

É comum as empresas começarem a realizar cortes sem muito critério, com isso acabam prejudicando recursos importantes para o negócio. Para que isso não aconteça, é preciso sentar com a equipe (Administração e Financeiro) e entender o que está sendo utilizado.

Faça uma lista com todos os custos da empresa, assim, é possível visualizar com mais clareza o que é um custo supérfluo e o que impacta na qualidade do serviço.


2. Reveja seus fornecedores

           Reduzir os custos do seu negócio

           Reduzir os custos do seu negócio

Material de limpeza? Manutenção?

Depois que a análise dos custos foi feita, é hora de reduzir os custos em relação aos fornecedores, renegociar os preços. Dessa forma você garante a qualidade dos seus serviços e melhora a margem de lucro. 

Produtos podem variar o seu valor significantemente, é importante ter sempre mais de um fornecedor cadastrado para complementar seus pedidos.

Cuidado com essa parte, ela impacta diretamente na qualidade do seu serviço e como todos sabem o barato as vezes sai caro.
 

3. Mobilize a equipe para reduzir os custos

Os funcionários são o coração da empresa, por isso a comunicação interna é de extrema importância na definição das metas de economia, recompensar sua equipe pode ser uma boa forma de atingir os objetivos.

Aproveitar a iluminação natural, desligar ar condicionados em salas vazias, trocar as lâmpadas e eletrodomésticos por modelos econômicos podem gerar grandes economias.


4. Banco de horas

Adotar o banco de horas é uma boa saída para reduzir gastos com as equipes. Você consegue economizar nas horas extras, enquanto o empregado recupera seu tempo trabalhado com mais dias de folga, incluindo os dias nas férias ou prolongando feriados.


5. Renegociar dívidas e tarifas

Dívidas com credores podem ser renegociadas, é uma ótima alternativa para minimizar a taxa de juros e com isso os danos no faturamento. É preciso calcular bem se a empresa pode arcar com as condições financeiras para pagar a dívida nos termos negociados.

Cuidado também com as tarifas bancárias! Elas podem representar 1% do faturamento da empresa, por isso, negocie melhor as tarifas com o seu banco. Para ter sucesso é necessário estar com os pagamentos em dia e ter um bom controle de caixa.


6. Infraestrutura e tempo

           Reduzir os custos do seu negócio

           Reduzir os custos do seu negócio

Aluguéis altos e custos operacionais podem ser terceirizados com serviços de escritório virtual e coworking

Não é mais necessário se preocupar com qualquer probleminha que rodeia sua atividade, agora é possível focar realmente no que interessa: ganhar clientes e aumentar suas vendas.

Com um espaço de coworking você tem a disposição uma estrutura profissional compartilhada com outras empresas, reduzindo os custos com manutenção, eletricidade, internet entre outros! Além de fortalecer sua rede de contatos.

Coworkings podem fornecer:

  • Endereço comercial e fiscal em uma localização de alto nível
  • Alugueis personalizados que conseguem se adequar a realidade das empresas
  • Terceirização das contas de Luz, internet, telefone, faxina, etc.
  • Salas de reunião equipadas 
  • Manutenção da infraestrutura
  • Networking com eventos, palestras e atividades recreativas

Caso tenha interesse em saber mais, escrevemos uma matéria mostrando 5 motivos para colocar sua empresa em um coworking hoje.

Para ficar por dentro de mais dicas como essa, acesse nosso blog!

6 Maneiras de melhorar as vendas na sua empresa.

Space sala K7A403.jpg

Escutar, entender e se colocar no lugar do cliente pode ser a chave para melhorar seus argumentos de venda. 
Conheça abaixo 6 maneiras de tornar o espaço entre você e seus clientes menor e entenda como inovar na forma que você vende? 


1. ESCUTE MAIS E FALE MENOS.


Você precisa entender a necessidade do seu cliente, faça perguntas e estimule a conversa. Muitas vezes nem mesmo o cliente sabe o que quer e na verdade precisa da sua ajuda. Faça perguntas imparciais que o façam falar mais do problema, assim você vai mostrar empatia e oferecer o melhor serviço mostrando que deseja ajudar e não apenas vender.


2. TRANSMITA CONFIANÇA.


Ninguém gosta de se sentir enganado ao conversar com um vendedor.  Mostre ao cliente que você entende o problema e está oferecendo a melhor solução e não a mais cara.
Mostre casos semelhantes que fortifiquem o seu argumento de venda. A confiança no argumento de venda alinhada com uma total empatia com a dor do cliente costuma ser matadora!


3. CRIE UMA CONEXÃO.


Chame pelo nome, esse é o ato mais fácil e rápido para criar uma conexão. Procure saber mais sobre a vida do cliente, lembrando que quanto mais informação, mais "Material" você terá para trabalhar e fortalecer o "algo em comum " entre vocês. Perguntas como:  "O que fez você começar a empresa?" ou "Porque resolveu trabalhar nessa área?" Ajudam muito a quebrar o gelo.
 
* Dica extra: Existem muitas técnicas para decorar um nome. Uma forma de decorar é realizar uma apresentação mental 3 vezes entre vocês, logo depois disso sempre que possível chame o cliente pelo nome.


4. TENHA UMA BOA APRESENTAÇÃO PESSOAL.


É natural do ser humano dar atenção somente a pessoas que passam uma imagem de confiança. Estar bem vestido aumenta sua credibilidade e torna mais fácil atingir um nível satisfatório de afinidade com o cliente. Veja o ambiente e o tipo de cliente que você costuma atender e use-o como base para pensar na sua apresentação! Vestir uma roupa que "converse" com o cliente faz com que ele se sinta mais seguro e confie mais em você.


5. LEIA MENTES...OPS, SINTA O CLIENTE.


Todo cliente é diferente, mesmo quando ele traz os mesmos problemas.  Você deve sentir a abertura verbal e gestual, qual o tipo de linguagem verbal e corporal você deve tratar o cliente. Isso é de longe o mais difícil na venda, requer experiência com pessoas e total confiança no produto.


6. NETWORKING DE VENDAS


Networking já foi citado em nosso blog algumas vezes, porém, não cansamos de dizer o quão valiosa essa ferramenta é para os negócios (e vendas)! Criar uma rede de clientes onde sua fama de bom vendedor com preço justo e bom atendimento pode proporcionar um feedback de clientes em seu fluxo de vendas. Essa técnica é muito utilizada por agências de viagem, corretores, etc
-------------------------------


Essas foram 6 dicas que eu uso nas minhas vendas! Nada melhor do que ter um vendedor feliz e um cliente mais feliz ainda. Estar em um coworking facilita muito essa vivência por estar conectado com pessoas diferentes todos os dias.

Ficou curioso ou precisa de ajuda? Venha conhecer o Space Coworking! Tomamos um café e eu te apresento nossa casa.
 

5 dicas para voltar a rotina após as férias

download (1).jpg

Passamos incontáveis dias acordando tarde, assistindo as séries favoritas e deitados na praia. Você está se divertindo e então você começa a se sentir desconfortável: é hora de voltar ao trabalho.

Voltar das férias para o trabalho pode ser algo chato, que você não quer dar atenção, mas vai acontecer mais cedo ou mais tarde. Aqui estão cinco dicas para te ajudar a suavizar sua reentrada na rotina diária para que você possa ficar relaxado ... e fazer as coisas.

Então...Como você pode evitar a "ressaca" pós férias e voltar ao trabalho?

Arrume seu espaço de trabalho primeiro.

Existe a grande possibilidade de você ser cumprimentado por pilhas de correio, emails, arquivos e outros itens de escritório te aguardando na mesa. Ao invés de ignorar esses itens, tire alguns minutos para processá-los. Abra os envelopes e veja seus emails. Quanto mais tempo você espera, mais eles vão se acumular.

Não leia seus e-mails em ordem cronológica.

Em vez de ler seus e-mails por data, classifique-os por assunto ou por remetente. A ideia é facilitar a exclusão de emails que não são mais relevantes, como atualizações de notícias antigas, ofertas expiradas ou cupons.

download (1).jpg

Faça uma lista priorizadando suas tarefas.

Rever emails, lista de tarefas e afins irá lembra-lo de todas as coisas que você estava trabalhando antes de sair de férias. Em vez de trabalhar no primeiro item que cruza o seu caminho, faça um esforço consciente para priorizar o seu trabalho. Em que projetos você estava trabalhando antes de sair do escritório? Quais são as cinco tarefas mais importantes para realizar seu primeiro dia de volta?

Remova distrações desnecessárias.

Para voltar ao trabalho da maneira mais tranquila o quanto possível, fique sério sobre cortar distrações óbvias. Desta forma, você pode pegar as coisas o mais rápido e eficiente possível, sem ser incomodado a cada cinco minutos. Desligue o celular, feche o Facebook e demais programas que você sabe que vão te distrair.

Faça uma breve revisão do seu calendário.

Você esteve ausente por algum tempo, então você provavelmente precisará de um pequeno lembrete sobre o que está acontecendo com seu trabalho. Analise sua agenda para os próximos dias para ter uma ideia das próximas reuniões, datas de vencimento, projetos e outras preocupações. Você estará melhor preparado para os dias à frente e não será completamente apanhado desprevenido quando se trata de se preparar para essa reunião do cliente às 10:00h na quinta-feira ou preparar aquele relatório enorme na sexta-feira ao meio-dia.

----------------------

E então, vamos trabalhar!? Demorei 2x mais tempo para escrever esse post devido a "ressaca das férias", você certamente não quer isso para você. Para ficar por dentro de mais dicas e novidades não deixe de ler nosso blog

Ferramentas de Gestão: PDCA

O PDCA (Plan-Do-Check-Act ou Plan-Do-Check-adjust) é um método de gestão em quatro etapas usado para o controle e melhoria contínua de processos e produtos. Também é conhecido como o Ciclo Deming ou Ciclo Shewhart. Outra versão deste ciclo PDCA é OPDCA. O "o", significa observação ou, como algumas versões dizem, "Continuar na condição atual." Esta ênfase na observação e na condição atual tem correlção com a literature do  Lean manufacturing e com Sistema Toyota de Produção.

PLANEJAR

Estabelecer os objetivos e processos necessários para fornecer resultados de acordo com a as metas estabelecidas. Ao estabelecer expectativas de saída, a integridade e precisão da especificação também é alvo da melhoria.  

FAZER

Implementar o plano, executar o processo, fazer o produto. Coletar dados para mapeamento e análise para os passos seguintes de Checar e Agir.

CHECAR

Estudar os resultados reais (medidos e recolhidos na etapa do FAZER) e comparar com os resultados esperados (metas ou objetivos do "Plano") para identificar as diferenças. Identificar os desvios na execução do plano e também observar a adequação do plano para permitir a execução. Ao observar os dados gráficos é possível identificar as tendências ao longo de vários ciclos de PDCA e converter os dados coletados em informação. Essas informações serão preciosas para a próxima etapa AGIR.

AGIR

Se na etapa do Checar foi verificado que o plano implementado é uma melhoria para o padrão anterior (linha de base), então agora foi identificado um novo padrão (baseline) que vai ditar como a organização deve agir daqui para frente (novos padrões). Se na etapa do Checar foi identificado que o plano implementado não é uma melhoria, então o padrão existente (baseline) vai permanecer o mesmo. Em ambos os casos, se o cheque mostrou algo diferente do que o esperado (seja melhor ou pior), irão sugerir novos ciclos de PDCA. Alguns autores defendem que a fase do AGIR deve prever ajustes ou ações corretivas. No entanto, outros autores ponderam que seria um contrasenso o PDCA propor e decider sobre alterações alternativas sem passar pela fase do planejar, do fazer e do checar.

A metodologia do PDCA foi desenvolvida pelo Dr. W. Edwards Deming, que é considerado por muitos como o pai do controle do qualidade moderna; No entanto, ele mesmo sempre se referia ao PDCA como o "ciclo de Shewhart".

Várias iterações do ciclo PDCA são repetidas até que o problema seja resolvido.

Um princípio fundamental do método científico e PDCA é iteração uma vez por hipótese confirmada (ou negada), executar o ciclo novamente e ampliar o conhecimento ainda mais. A repetição do ciclo PDCA pode levar para mais perto do objetivo, em busca de uma uma operação perfeita.

PDCA também é conhecido como um sistema para o desenvolvimento de pensamento crítico. Na Toyota é chamado de "pessoas em construção antes de construir carros."  A Toyota e outras empresas de Lean propõem o uso de uma força de trabalho focada na resolução de problemas usando PDCA e capaz de inovar e se posicionar à frente da concorrência através das inovações. Isso faz com que seja criada uma cultura de solucionadores de problemas usando PDCA e uma cultura de pensadores críticos.

Deming continuamente enfatizou a iteração para um melhor sistema, daí PDCA deve ser repetidamente implementado em espirais para aumentar o conhecimento do sistema que converge para o objetivo final, cada ciclo mais perto do que o anterior. Esta abordagem baseia-se na crença de que nosso conhecimento e habilidades são limitados, mas sempre aprimorando.

 

 

Os 5 livros de finanças que devem ser lidos por todo empreendedor

Quando se trata de livros sobre negócios, marketing e gestão, podemos encontrar muitos deles destinados a empreendedores. Mas, quando se trata de livros sobre finanças, não temos tantas opções. Não é que não existam livros sobre finanças ou dinheiro, é que eles raramente tratam o dinheiro através dos olhos de um empreendedor. Então, aqui estão 5 livros de finanças cada empreendedor deve ler:

#5 O homem mais rico da Babilônia (The Richest Man In Babylon), de George S.

O homem mais rico da Babilônia é uma série de parábolas ambientadas na antiga Babilônia, cada um com sua própria lição sobre a construção de riqueza. Uma das lições mais perenes deste livro é “Se pague primeiro".  Isso significa ser Se disciplinado para guardar parte do seu salário em uma conta poupança antes de gastá-lo em outro lugar, mesmo que seja pagando contas. 

Essa e outras sugestões práticas e fáceis para evitar a falta de dinheiro você encontra nesse livro que está à venda em todas as livrarias do país.

Na Amazon, por R$ 12,90. 

https://www.amazon.com.br/Homem-Mais-Babilônia-George-Clason/dp/8581890202

 

#4 Keys to the vault (Chaves do cofre), de Keith J. Cunningham

Algumas ideias de negócio são tão grandes que você tem que primeiro se captalizar para depois iniciar seu negócio. É por isso que Keith J. Cunningham escreveu Chaves do cofre : Lições de empreendedores profissionais em levantar dinheiro para o seu negócio. Se você quer levantar dinheiro com amigos, familiares, investidores anjo ou capitalistas de risco, Keith ensina como criar um plano de negócios, montar um time de estrelas e escolher as estruturas legais e financeiras que vão animar os investidores. Se você tem uma ideia de negócio que exija capitalização, o livro de Keith J. Cunningham é para você.

Esse livro ainda não tem tradução em português e pode ser adquirido na Amazon por U$ 29,95

https://www.amazon.com/Keys-Vault-Lessons-Igniting-Business/dp/0977723607 

 

#3 Economia numa única lição, de Henry Hazlitt

Se você quer saber como o dinheiro flui em uma economia, mas não quer se comprometer com anos de estudo, Economia numa única lição é o livro que irá ajudá-lo a aprender o básico. Muitas pessoas pensam que por saberem do negócio, sabem de economia. Mas negócios e economia são diferentes matérias na faculdade por uma razão. Aprender a pensar como um economista é um passo crítico em direção à prosperidade e ao sucesso dos empreendedores nos negócios. 

Como os acordos comerciais do governo e tarifas podem afetar a economia ? Quais são os resultados a longo prazo das políticas governamentais, como controles de preços e inflação? Qual o efeito que o salário mínimo realmente tem sobre osnegócios ? Henry Hazlitt escreveu “Economics in one lesson” para ajudar a detectar todos os fatores "visível e do invisível" envolvidos. E detectar os fatores visíveis e invisíveis é uma habilidade valiosa para qualquer empresário.

Esse livro está esgotado nas livrarias brasileiras. Veja nesse link o pdf da obra de Henry Hazlitt: http://www.hacer.org/pdf/Hazlitt02.pdf

 

#2 Killing Sacred Cows, de Garrett Gunderson and Stephen Palmer

Ainda sem tradução para o português, seria impossível Killing sacred cows nao figurar na lista dos livros sobre finanças recomendados para empreendedores. Há muito poucos livros por aí que ensinam a investir em si mesmo e sua empresa antes de investir em coisas que você não conhece, ou controlam, como o mercado de ações. Killing sacred cows mostra que não há outra maneira e ainda ajuda a derrubar 9 mitos financeiros sobre a dívida, poupança e aposentadoria. 

Esse livro ainda não está à venda nas livrarias brasileiras. Clique nesse link e tenha uma amostra digital disponibilizada pela Amazon:  https://www.amazon.com.br/Killing-Sacred-Cows-Overcoming-Destroying/dp/1929774516

 

#1 Pai rico, pai pobre, de Robert Kiyosaki

A razão pela qual o livro de Robert Kiyosaki é tão importante, especialmente para os empreendedores, é que ela muda a conversa de acumulação de fluxo de caixa. A maioria dos "consultores financeiros" se concentram em guiar o seu caminho para a riqueza. Mas quando você se concentra no fluxo de caixa, como Kiyosaki recomenda, investir em seu negócio faz muito mais sentido. Investir no fluxo de caixa produz renda que pode ser imediatamente revertida para seu negócio ou para qualquer outro investimento. Concentrar-se no fluxo de caixa é mais eficiente para os empreendedores e permite mais liberdade para viver rico hoje. 

Você pode encontrar esse livro por R$ 63,90 na Livraria Saraiva. http://www.saraiva.com.br/pai-rico-pai-pobre-447204.html

 

Fonte: http://www.forbes.com/sites/garrettgunderson/2016/04/23/the-5-best-money-books-for-entrepreneurs/#762b417a6d37