Histórias de empreendedores

No empreendedorismo, as dúvidas são parte de nossa rotina. Independente do quão bem planejado seja nosso ano ou do quão bem as coisas estejam fluindo, um emaranhado de pontos de interrogação sempre estará presente em nossas cabeças.

Nessas horas, as histórias de grandes empreendedores que venceram dificuldades e progrediram com seus negócios podem ser o alívio necessário para continuarmos seguindo em frente. Que tal dar uma olhada em alguns desses exemplos e tentar tirar alguma inspiração deles? (:

Aproveitando uma viagem de negócios

Durante uma viagem a Milão, um jovem representante comercial de uma produtora de café de Seattle teve uma ideia para uma rede de cafés expressos como os que ele via por toda a Itália. Seu empregador não demonstrou interesse em ser o proprietário de estabelecimentos do tipo, mas concordou em financiar o devaneio de seu funcionário. Eles até venderão ao garoto, chamado Howard Schultz, o nome de sua marca: Starbucks.

O surgimento do AuctionWeb

Em 1995, um programador de computadores chamado Pierre Omidyar começou a leiloar coisas em seu site pessoal. O AuctionWeb, como era chamado na época, era realmente apenas um projeto pessoal, mas assim que o aumento no tráfego fez com que ele precisasse dar um upgrade no seu plano de internet, Omidyar começou a cobrar taxas das pessoas. Ele até contratou seu primeiro funcionário para que conseguisse lidar com tantos boletos e pagamentos. O nome do site hoje em dia? eBay.

Rejeitada 36 vezes

É difícil acreditar que uma bem-sucedida empreendedora foi anteriormente rejeitada por 36 editoras, mas essa história não poderia ser mais verdadeira. Arianna Huffington, dona do mundialmente famoso Huffington Post, teve seu segundo livro rejeitado por três dúzias de editores antes de ser eventualmente publicado. Mal sabiam todos esses editores que o sobrenome daquela autora se tornaria sinônimo de informação na internet alguns anos depois.

Um funcionário pouco criativo

No início do século XX, um pequeno jornal norte-americano demitia um de seus redatores sob a justificativa de que ele tinha pouca criatividade. Sem desistir, ele formou uma pequena companhia de animação chamada Laugh-O-Gram Films, onde conseguiu ganhar US$15.000 antes de eventualmente ser forçado a fechar por conta de dificuldades com um importante distribuidor.

Por conta disso, o rapaz teve de se mandar para Hollywood, onde enfrentou ainda mais críticas até que, finalmente, um de seus primeiros clássicos recebesse sua assinatura: Walt Disney.

--

E então? Mais inspirado para enfrentar seus desafios?

Aqui no Space, acumulamos histórias como essas! Talvez seja a hora de passar aqui para nos conhecer (: